Como Vacinas Experimentais Mataram 100 Milhões De Pessoas Durante a “Gripe Espanhola” de 1918.

A história nos conta que a gripe espanhola em 1918 matou entre 50-100 milhões de pessoas. Foi considerada a doença mais terrível por fontes médicas e farmacêuticas. É um mito do tempo de guerra que ainda está sendo perpetuado para encobrir as vacinas experimentais que mataram milhões durante a gripe espanhola.

Eleanor McBean, PhD, ND, autora de ‘Vaccination Condemned‘, descreve suas experiências pessoais e familiares durante a pandemia de “Gripe Espanhola” de 1918 em detalhes em seu livro.

Eleanor McBean, que é uma sobrevivente não vacinado, permitirá que você revisite este evento histórico. Ela fornece evidências de que os eventos históricos da “Gripe Espanhola” de 1918 foram comprometidos. O mesmo foi feito com as epidemias de poliomielite e gripe suína e que também está sendo feito agora.

O mito da gripe espanhola

Como a Espanha foi neutra durante a Primeira Guerra Mundial, não hesitou em relatar a epidemia de gripe de 1918, ao contrário dos países em combate. Assim, a Espanha foi usada como “bode expiatório”, portanto, o termo “Gripe Espanhola” foi criado. Um experimento massivo de vacinação militar foi conduzido em Fort Riley, Kansas, onde o primeiro caso de “gripe espanhola” foi relatado. Pela primeira vez, a indústria farmacêutica obteve o fornecimento de cobaias em humanos, patrocinado pelo Rockefeller Institute for Medical Research.

Os militares dos EUA forneceram um grupo de 6 milhões de homens como cobaias para os experimentos de vacinação. Os soldados da Primeira Guerra Mundial dos EUA receberam 14 – 25 vacinas experimentais não testadas com uma diferença de dias, o que desencadeou casos intensificados de TODAS as doenças de uma só vez. Os médicos a chamaram de nova doença e passaram a suprimir os sintomas com medicamentos ou vacinas adicionais.

É a mesma tática que a cabala globalista está usando com o “vírus mortal” do Covid. 

A pandemia não foi a gripe. Estima-se que 95% (ou mais) das mortes foram causadas por pneumonia bacteriana, não influenza / vírus. A pandemia não foi espanhola. Os primeiros casos de pneumonia bacteriana em 1918 remontam a uma base militar em Fort Riley, Kansas. De 21 de janeiro a 4 de junho de 1918, uma vacina experimental contra meningite bacteriana cultivada em cavalos pelo Rockefeller Institute for Medical Research em Nova York foi injetada em soldados em Fort Riley.

Quando a Primeira Guerra Mundial terminou em 11 de novembro de 1918, os soldados voltaram para seus países de origem e postos coloniais, espalhando a pneumonia bacteriana assassina em todo o mundo. Durante a Primeira Guerra Mundial, o Instituto Rockefeller também enviou o soro antimeningocócico para a Inglaterra, França, Bélgica, Itália e outros países, ajudando a espalhar a epidemia em todo o mundo. Saiba tudo aqui.

A autópsia feita após a guerra provou que a gripe de 1918 não era uma ‘gripe’. Em vez disso, foi a doença causada pela “ vacina experimental contra a meningite bacteriana ” que foi dada às pessoas.

Esta doença imita os sintomas da mesma forma que a gripe. Um grande número de soldados vacinados foi morto por esta vacina experimental e aqueles que não foram vacinados não foram afetados.

Leitura obrigatória: Explosivo! BACTÉRIAS mataram pessoas na pandemia de 1918 e Fauci SABIA

Leitura obrigatória: Etapa da operação da Fundação Rockefeller: “Sob o pretexto de uma pandemia, criaremos um Estado de Prisão”

Campo de concentração disfarçado de quarentena. Esse é um campo de quarentena de Heathrow, Londres. O governo está cobrando das pessoas 1.750 libras para permanecer em prisões como centros de quarentena por 2 semanas após seu retorno da sociedade. Esses campos não são obrigatórios, mas você pode ver que tem bastante pessoas lá dentro. Os vídeos a seguir são do Canal do Giv no Telegram.

Mas você sabia que no Brasil a lei que autorizada campo foi assinada em fevereiro de 2020 pelo Bolsonaro? Aliás, não só Campos, como vacinação a força também. E você também vai ter que pagar para ser mantido nas prisões! É a lei 13.979/2020, assinada pelo presidente. Nossa realidade é bem pior do que a dos ingleses. Você deveria estar lutando para revogar essa merda de lei!

Campos de concentração nazista em Formosa na Argentina violam a ética libertária e até regras de direitos humanos. Um detalhe importante. Durante a Segunda Guerra Mundial, milhares de nazistas fugiram em submarinos para a Argentina. Um sósia de Adolf Hítler que foi encontrado morto no bunker em Berlim.

Hitler fugiu para a Argentina, onde viveu numa mansão em Bariloche até sua morte. Hitler foi treinado e financiado pelos banqueiros globalistas Rothschild para ajudar na criação da “Pátria Rothschild” conhecida como Israel, que tem a estrela de seis pontas, o antigo brasão dos Rothschild em sua bandeira.

Para quem ainda não percebeu a gravidade da situação. Nesse vídeo, uma mãe portuguesa tem sua filha sequestrada por membros da máfia do governo, que é levada pela “polícia”, porque se recusou a usar fucinheira na escola! Uma nova onda de tirania está se manifestando no mundo, tudo em nome da “ciência”

O apresentador T​ucker Carlson, da Fox News, fala sobre evidências de que o Google financiou pesquisas de ganho de função do Covid na China.

Mas e os civis?

Grandes quantidades de vacinas experimentais não utilizadas foram deixadas sem uso quando a Primeira Guerra Mundial terminou abruptamente. O governo dos Estados Unidos iniciou a campanha para espalhar o medo entre os civis, dizendo que quando os soldados voltarem para suas famílias a doença se espalhará também para os familiares.

E, ao fazer isso, eles conseguiram usar dezenas de milhões de civis como cobaias de vacinas experimentais. Como resultado, milhões de civis morreram após a guerra, assim como os soldados. Portanto, em vez de reduzir o risco, intensificou a situação e foi denominada como a grande ‘Gripe Espanhola de 1918’, na qual morreram apenas os vacinados.

“Sete homens caíram mortos em um consultório médico após serem vacinados. Cartas foram enviadas para suas famílias informando que eles foram mortos em combate ”. – Eleanor McBean, Minnesota Wellness Directory

Recentemente, de forma semelhante, a vacina oral da OMS desencadeou um surto de poliomielite na África. Uma semana depois que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que sua campanha de vacinação de uma década na África foi bem-sucedida, sua própria  vacina oral desencadeou um novo surto de poliomielite  no continente. O surto foi causado por mutação da cepa da vacina.

A narrativa COVID

Neil Ferguson, é o cientista britânico e professor do The Imperial College, que desenvolveu modelos computacionais de pandemia matemática para covid-19 com base nos quais as políticas nacionais foram elaboradas. No entanto, todos os modelos fornecidos por Neil Ferguson provaram ser enganosos e ainda o mundo segue seu modelo COVID-19.

Por exemplo, de acordo com o modelo de Ferguson, a Suécia experimentaria 100.000 mortes em junho de 2020, mas a Suécia atingiu o pico de apenas 2854 mortes no total até agora (no momento da redação deste artigo). O caso da Suécia é interessante porque os rígidos bloqueios prescritos pela OMS não foram implementados pelo governo sueco. O modelo sueco provou a ineficácia das políticas da OMS.

Há também o caso da Alemanha, onde o ministro federal contratou cientistas para desenvolver um modelo de coronavírus falso para justificar bloqueios por ataque. Após uma forte luta de ativistas e advogados, o tribunal alemão em uma decisão histórica declarou que os bloqueios de COVID19 impostos pelo governo eram inconstitucionais.

As políticas da OMS sobre o tipo de medicamento para o tratamento de COVID-19 também foram expostas a serem influenciadas por dados falsos de uma estrela pornográfica e um escritor de ficção científica. Os modelos corona falsos foram complementados com protocolos de teste defeituosos. Como GreatGameIndia relatou, os testes de coronavírus padrão geraram um grande número de casos positivos diariamente.

Esses testes são feitos com base em  protocolos defeituosos da OMS,  que também incluem casos de falsos positivos. Foi apenas um ano depois, quando a pandemia já foi declarada com estritos bloqueios impostos em todo o mundo, que a OMS admitiu seu erro e mudou seus critérios de teste RT-PCR. No ano passado, um tribunal de recurso português decidiu que os  testes de PCR não são fiáveis ​​e que é ilegal  colocar as pessoas em quarentena apenas com base num teste de PCR.

Os ciclos de limiar usados ​​nos testes de PCR na Índia estão entre 37 e 40, o que torna a confiabilidade do teste de PCR  inferior a 3% e a taxa de falsos positivos de até 97%. Anteriormente, o  protocolo de teste da OMS foi até questionado pela autoridade nacional de saúde da Finlândia . A OMS pediu aos países que testassem o  maior número possível de pacientes  para o coronavírus.

Em uma revelação surpreendente, o chefe de segurança de saúde da Finlândia, Mika Salminen, rejeitou a recomendação da OMS dizendo que a OMS não entende pandemias e que seu protocolo de teste de Coronavírus é ilógico e não funciona.

https://twitter.com/GreatGameIndia?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1384405988049047553%7Ctwgr%5E%7Ctwcon%5Es1_&ref_url=https%3A%2F%2Fwww.stylourbano.com.br%2Fcomo-vacinas-experimentais-mataram-100-milhoes-de-pessoas-durante-a-gripe-espanhola-de-1918%2F

Portanto, se os protocolos de teste da OMS são de fato baseados nas tecnologias e metodologias de pesquisa mais confiáveis, precisas e bem fornecidas em todo o mundo, eles não deveriam saber sobre sua eficácia insignificante e seu impacto em causar pânico e caos? Na verdade, a OMS sabe que não funciona e, além disso, não é a primeira vez que tais críticas são feitas.

No passado, em 2010, a  OMS foi pega fingindo uma pandemia  e foi forçada a admitir que sua metodologia de medir a viralidade ou a propagação da doença, em vez de sua gravidade, estava incorreta.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.